eSIM, o cartão virtual

eSIM, o cartão virtual

Os cartões SIM, os tradicionais cartões de telemóvel, que já existem desde 1991, têm vindo a reduzir de tamanho e agora a tecnologia começa a entrar numa fase de total digitalização com os cartões SIM virtuais. O eSIM (embebbed SIM ou eletronic SIM), que começa a tornar-se no sistema dominante na maior parte das marcas que constroem telemóveis, smartwatches ou outros aparelhos para o mundo da Internet of Things (IoT), promete revolucionar o mercado já em 2020.

 

De acordo com um estudo da Research and Markets, o mercado de eSIM a nível mundial deverá crescer até aos 1.4 mil milhões de dólares, com os carros conectados a ter um papel preponderante neste crescimento. Números sustentados também pelo aumento do número de sensores e aparelhos ligados ao mundo da Internet das Coisas. E, obviamente, a comunicação entre máquinas (M2M) desempenha um papel preponderante para o crescimento desta tecnologia.

 

Apesar de apenas agora se começar a falar da massificação deste conceito, o eSIM não é novo. A GSMA começou a explorar as possibilidades de cartões SIM baseados em software em 2010. Ou seja, quase uma década depois, começa a tornar-se viável. E com vantagens a diversos níveis.

 

Além da redução do plástico utilizado para a produção dos cartões tradicionais, tudo fica mais fácil com os clientes a terem a possibilidade de subscrever um número de forma rápida e sem necessitar de inserir cartões nos smartphones. Do ponto de vista prático, o espaço anteriormente dedicado a estas slots para cartões físicos poderá ser usada de outra forma. Principalmente quando se fala de smartwatches ou outros aparelhos mais pequenos onde o espaço é precioso.

 

Dual SIM ou eSIM

Há alguns anos que houve a necessidade de se criar telemóveis com a possibilidade de conter dois cartões. A distinção entre número pessoal e profissional é comum e ainda hoje há quem tenha de recorrer a dois smartphones para poder ter os dois números. A alternativa os smartphones com Dual SIM, mas as coisas podem ser simplificadas com o recurso à subscrição de um tarifário eSIM. Recorde-se que ao utilizar dois cartões SIM num smartphone Dual SIM, os utilizadores ficam sem espaço para introduzir um cartão de memória para armazenamento de dados.

 

Graças à tecnologia eSIM pode subscrever planos de voz e dados sem ter de inserir cartões físicos. Basta realizar a subscrição junto da operadora, fazer download da carteira virtual que contempla o PIN o PUK e um código QR para leitura e ativação do número.

 

Além disso, com um cartão eSIM pode subscrever apenas um pacote de dados para navegar na Internet com maior controlo nos custos deste tarifário. Aliás, pode subscrever números temporários, para uma venda através de uma plataforma online, por exemplo. No entanto, apenas pode utilizar um número de cada vez. Para usar outro eSIM subscrito tem de alternar entre números através das definições do próprio smartphone com suporte para eSIM.

 

Como já referido, os smartwatches com suporte para eSIM são também um mercado apetecível já que ao subscrever um eSIM IoT poderá também efetuar chamadas ou enviar SMS através do relógio, sem ter o smartphone por perto. Quando vai ao ginásio, correr ou andar de bicicleta, levar o smartphone obriga ao recurso a suportes, e muitas vezes os acidentes acabam por acontecer. Com a possibilidade de estar contactável apenas com o smartwatch tudo fica mais simples.

 

Um tarifário M IoT permite a subscrição de um número com uma mensalidade reduzida mas que permite estar contactável através de um smartwatch com a tecnologia eSIM.

Soluções Recomendadas

  • 0

    eSIM uma nova experiência

    + de 1 número num só equipamento.Saiba mais

  • smartwatchGT.png

    Smartwatches

    Relógios que o ligam ao mundo da IoTSaiba mais

  • Telemóveis

    Telemóveis

    Até 15GB de Internet GRÁTIS na compra de um smartphone.Saiba mais

Source: Blog Meo