Estados Unidos querem "espreitar" redes sociais de quem entra no país

O controlo de fronteiras norte-americano poderá incluir a verificação das contas nas redes sociais dos visitantes que solicitem autorização de entrada em território no país, para detetar “possíveis ameaças de segurança”.

O Governo dos Estados Unidos, através de uma proposta dos Serviços Aduaneiros e de Proteção de Fronteiras, pretende solicitar informações sobre as contas nas redes sociais dos visitantes no processo de obtenção de vistos para entrada no país.

Quem o diz é o jornal inglês The Guardian, referindo ainda que, caso esta hipótese se torne realidade, cada pessoa que deseje visitar os Estados Unidos terá de colocar no formulário de requisição de entrada os endereços dos seus perfis em sites como o Facebook, o Twitter ou o Instagram.

De acordo com a proposta em causa, este campo de preenchimento passaria a fazer parte do documento Electronic System for Travel Authorization (Esta), preenchido através da Internet, e também do formulário I-94 W, em papel (ou PDF), requerendo “informação relacionada com a sua presença online”.

Numa primeira fase, fornecer este tipo de informações não será obrigatório, mas é encarado pelas autoridades proponentes como “uma ferramenta eficaz no auxílio do Department of Homeland Security (DHS) norte-americano na investigação de possíveis atividades ameaçadoras”.

Não há informação de como poderão as autoridades competentes verificar a veracidade das informações fornecidas, nem tão pouco de quando passaria a ser obrigatório preencher esta secção dos formulários de pedido de entrada no país.

A proposta está de momento sob consulta pública, até dia 22 de agosto. O The Guardian refere, a título de curiosidade, que os Estados Unidos recebem cerca de 10 milhões de pedidos de entrada por ano e receberam mais de 77 milhões de visitantes estrangeiros em 2015.

Source: Sapo TeK