Facebook quis comprar “Snapchat chinês”, mas levou "nega"

O serviço Snow recusou a oferta de aquisição de Mark Zuckerberg. Há já alguns anos que a maior rede social do mundo está a tentar criar algo que se assemelhe à app de mensagens que se “autodestroem”, mas até agora sem sucesso.

Em 2013, o Snapchat negou a proposta de aquisição de cerca de 3.000 milhões de dólares lançada pelo Facebook, e, desde então, a rede social tem procurado “deitar a mão” a um serviço semelhante, por aquisição ou por desenvolvimento próprio.

Agora, fontes anónimas revelam ao TechCrunch que a app Snow, descrita como o congénere chinês do Snapchat, recusou a oferta avançada por Zuckerberg durante este verão.

A Snow foi desenvolvida pela sul-coreana Naver, que também criou a app Line, cujas funcionalidades são muito semelhantes às do Messenger da concorrente norte-americana.

Em declarações ao site, a Naver diz que a Snow está a ser alvo do interesse de várias empresas. No entanto, não identifica os “pretendentes”.

Segundo consta, a Snow caiu no radar do Facebook depois de ter sido objeto de uma reportagem do New York Times, no qual era referido que com esta app a Naver estaria a explorar a falta de interesse dos utilizadores da China no Snapchat.

O sucesso que a Snow tem tido no mercado chinês é um dos fatores que levou o presidente da Naiver, Hae-Jin Lee, a recusar a oferta de Mark Zuckerberg, alegadamente via chamada telefónica.

Explica o Engadget que o Facebook tem tentado “inspirar-se” nas apps dos concorrentes, com a criação de apps como o Instagram Stories, que, como o Snapchat, integra a funcionalidade de conteúdos de duração limitada.

Source: Sapo TeK