O futuro da SAP passa por um laboratório de inovação em Paris

Nem só de software de gestão puro e duro vive a SAP. A gigante alemã tem em França um laboratório de inovação que “fervilha” de tecnologia virada para o futuro. Mas os projetos já são para os dias de hoje e “tratam por tu” tendências como a Internet das Coisas ou o Machine to Machine.

São soluções nestas vertentes, e noutras como a Indústria 4.0, que são mostradas aos clientes e outros interessados nos andares de topo do prédio situado a noroeste de Paris, em Levallois-Perret, que desde há cerca de um ano reúne toda a equipa SAP, antes espalhada por diferentes pontos da capital francesa. São cerca de 600 pessoas, a maior parte dedicadas a desenvolverem e testarem soluções inovadoras, um pouco out of the box daquilo a que estamos habituados a associar tradicionalmente à empresa alemã.

Além da Torre Eiffel, e de outros monumentos parisienses carismáticos, a partir do hall de entrada do 19º piso salta à vista o acesso a uma pequena sala repleta de ecrãs – e não apenas os tradicionais. A tour pelo que a SAP está a fazer para ligar a sua habitual área de negócio ao futuro começa aí.

O primeiro exemplo está relacionado com a Internet das Coisas e, inclusive, já tem provas dadas, sublinhou Olivier Schmitt, Innovation Ambassador, que durante cerca de uma hora fez de guia pelas diferentes experiências alojadas na SAP Labs Paris. A aplicação é para o desporto, nomeadamente para o futebol.   

O Bayern de Munich serve de exemplo. A equipa alemã recorre a tecnologia de análise de vídeo para avaliar em detalhe a evolução de um jogador durante a partida, as melhores posições de jogo, ângulos de remate ou mesmo os destinos possíveis da bola em determinado remate.

As mesmas técnicas, e outras complementares como a utilização de sensores para “medir” a prestação dos desportistas, são aplicadas no rugby, no ténis ou no basquete, nomeadamente pela NBA. No futebol outro exemplo é o Leicester City Football Club, equipa inglesa que conseguiu ganhar a Liga inglesa de futebol no ano passado – segundo Olivier Schmitt com a ajuda de uma solução com tecnologia SAP.

E do desporto para as cidades inteligentes na SAP Labs Paris é um passo. Na pequena sala plena de potencial de inovação uma maquete faz a ligação a um ecrã para mostra as vantagens da IoT na automatização da manutenção dos equipamentos de rua, na monitorização das vias de acesso para melhor compreender o trânsito e otimizá-lo ou mesmo para duplicar virtualmente a cidade com o objetivo de facilitar o trabalho dos urbanistas.

E na era das smart cities e do machine to machine não vão, com certeza, faltar máquinas dispensadoras inteligentes, como mostrou Olivier Schmitt. A vending machine instalada no 19º andar do centro de inovação de Paris da SAP é demonstrativa das possibilidades da tecnologia, mas uns pisos abaixo funciona uma “a sério”, informou o responsável, “em que quem quiser tirar alguma coisa tem de pagar”, acrescentou.

Estas máquinas ligadas à internet, e que comunicam a quem de direito se precisarem de ser reabastecidas ou se houver algum problema técnico, podem disponibilizar desde comida a consumíveis informáticos. “As aplicações são muito variadas, adaptando-se a vários modelos de negócio”, garante o responsável. Podem até fazer uma “perninha” na área da gamification, como ficou demonstrado “em direto” aos jornalistas que visitaram o centro de inovação – para alguns na primeira pessoa.

Os projetos mostrados a partir do Centro de Inovação de Paris juntam-se a outros que a gigante do software empresarial tem divulgado e que, nomeadamente, mostrou no mais recente SAP Innovation Forum, no Centro de Congressos de Oeiras, como um assistente de loja do futuro baseado no robot Pepper ou um gestor para “mercearias”.

Source: Sapo TeK