Samsung S9, mantém qualidade e resolve o que estava menos bem no S8

s9.jpg

A Samsung adiantou-se em relação à concorrência com o lançamento da versão mais recente do seu topo de gama, o S9 e S9 Plus, e a aposta está toda centrada na revolução da fotografia. Aliás, é neste capítulo que todas as marcas estão a colocar as fichas. 

 

Cada vez mais estamos perante uma câmara fotográfica com capacidade de fazer chamadas e outras coisas. Este S9 promete e cumpre mas não vai além disso. É, sem a menor dúvida, um dos melhores smartphones do mercado e a qualidade da fotografia deixa muitas câmaras digitais uns pontos abaixo. No entanto, para tirar partido de todas as novidades ao nível da fotografia, é preciso apostar na versão Plus. Só esta versão integra a câmara dupla que permite tirar todo o partido da qualidade fotográfica deste smartphone.

 

Em termos de design, nada de novo em relação ao S8. E, realmente, não há grande necessidade de mexer em algo que cativou e revolucionou o mercado. O ecrã OLED continua a surpreender e quando testado em simultâneo com outros smartphones, nota-se a diferença da imagem (nomeadamente no modo de fotografia e vídeo) com um ganho substancial ao nível da luminosidade, mesmo perante situações de pouca luz.

 

Além das melhorias da qualidade da fotografia (que como já se sabe é transversal às marcas que lutam pela liderança do mercado), a aposta desta gama de smartphones está na possibilidade de fazer vídeos em modo câmara super lenta. Dá para fazer uns efeitos bonitos quando chegar o verão. Certamente, as redes sociais serão invadidas pela partilha destes vídeos em praias, piscinas, na prática desportiva, onde os movimentos rápidos, gravados nesta opção, permitem uma experiência diferente com um simples toque.

 

  

São funcionalidades interessantes mas este S9 acrescenta muito pouco, quando comparado com a qualidade já apresentada pelo S8. Não é fácil bater um aparelho que chegou ao mercado com uma qualidade bastante boa, apesar de um ou outro defeito, agora corrigido.

 

Mas, vamos às melhorias

Basicamente, a Samsung apostou em melhorar aquilo que ficou menos bem no S8 e que os consumidores apresentaram como queixa. Uma nota bastante positiva que mostra que a marca está atenta às exigências dos consumidores. A Bixby surge com uma Inteligência Artificial mais afinada e até com algum “humor”.

 

s9frente.jpg 

À semelhança do que surgiu com o Mate10 da huawei, a Samsung incluiu a Inteligência Artifical no S9 de forma a que câmara identifique, de forma automática variados temas. Caras, alimenos, bebidas e ao apontar para o chão mostra mesmo o mapa com a sua localização. apontar para cima permite de forma simples aceder à previsão meteorológica.

 

Mas isto é apenas o princípio da Inteligência Artifical. Em breve, toda esta tecnologia estará de tal forma enraízada que nem iremos dar por ela. Apontar a câmara para um produto e fazer de imediato uma encomenda online? Feito!

 

O OLED continua a surpreender e a ser, sem dúvida, um dos melhores ecrãns do mercado. Mas é ao nível de funções como as leituras biométricas que a marca Sul Coreana melhorou bastante em relação ao antecessor S8.

 

Neste momento, a par dos desenvolvimentos da Inteligência Artificial, incluídas nos smartphones, as marcas apostam em experiências mais emersivas e a Samsung apresenta os AR Emoji. Basicamente, é a possibilidade de criar um emoji à imagem do utilizador só que, em vez de sermos animais, podemos gerar uma imagem ao estilo cartoon de nós próprios.

 

Mais ou menos. Esta funcionalidade ainda tem muito para crescer e ao fim de pouco tempo pode mesmo ser cansativa. É um passo ao nível das tendências que o mercado exige mas ainda falha muito no que respeita ao reconhecimento facial e definição das feições do utilizador. Dá-se mal com barbas, por exemplo…

 

Apesar de este S9 ter melhorado bastante o reconhecimento facial, em relação ao S8, para a criação destes emojis ainda deixa muito a desejar e precisa de mais tempo de teste para se perceber até que ponto este reconhecimento biométrico ficou bem afinado. Mas, sem dúvida, irá ter ali alguns momentos de diversão. Principalmente porque pode gravar alguns vídeos e gifs animados e enviá-los para os amigos (apesar de não permitir o envio através do Twitter, por exemplo) que tenham aplicações compatíveis.

 

Para os que utilizam o Smartphone em trabalho, a nova doca Dex também apresenta melhorias, um design diferente, mas continua a fazer o caminho que todos esperam: ter um computador com a capacidade de um portátil no bolso.

 

Apesar de nesta versão do DeX já ser possível tornar o S9 num rato, a Samsung continua a apostar numa doca para ligar o smartphone a um ecrã, ao contrário da Huawei que apenas necessita de um cabo. Se por um lado, a Samsung mostra que continua a insistir em melhorar a tecnologia já desenvolvida, por outro, como é o caso do Dex, ainda nçao se percebeu a real vantagem da doca quando é possível fazer o mesmo apenas com a ligação de um cabo. E o futuro, como se sabe, será fazer tudo isto sem fios.

 

O acesso aos dados já é feito através da rede 4G+ o que permite velocidades de navegação muito perto de 1Gbps. Mas, claro, está dependente das zonas onde esta rede esteja já implementada.

 

Nesta review não foi possível testar a capacidade da nova câmara dupla do S9, ficará para uma próxima análise.

No entanto, para os que gostam de especificações, aqui ficam algumas das principais características mais técnicas do S9 e S9+, das quais se destacam a capacidade de expansão de memória através de um cartão microSD para 400 GB. É pena que as marcas continuem a colocar na mesma slot a expansão de memória e o segundo cartão SIM:

 

SISTEMA

  • Sistema Operativo Android 8.0 (Oreo)
  • Tecnologia de rede 4G+
  • Processador Octa Core (4×2.7 GHz + 4×1.7 GHz) 64 bit 10nm
  • Dual SIM (se não usar o cartão microSD para aumentar a capacidade de armazenamento de dados)

MEMÓRIA

  • Memória Interna 64 GB
  • Memória RAM 4 GB
  • Memória Externa (com recurso a cartão microSD) 400 GB

Source: Blog Meo