Telecomunicações no topo da lista de queixas à DECO. Compras online estão logo atrás

Numa análise às queixas recebidas, a associação de defesa do consumidor “reprova” os serviços de telecomunicações, principalmente no que aos planos de fidelização diz respeito. Também alerta para alguns perigos relacionados com as transações nas redes sociais.

A DECO revela que recebeu cerca de 460.000 queixas durante 2016 e que os serviços de telecomunicações estão, uma vez mais, no topo das razões que levaram os consumidores a recorrer à associação.

Em comunicado, a associação indica que mais de 45.500 queixas submetidas no ano passado disseram respeito a serviços de telecomunicações, nomeadamente devido a contratos de fidelização a 2 anos e ofertas sem fidelização que não trazem vantagens tangíveis para os consumidores.

<!– Conditionally wrap elements in

O comércio eletrónico também mereceu um lugar de destaque no balanço anual da DECO. As informações indicam que grande parte das reclamações feitas nesta área está associada à não entrega ou atraso na entrega de produtos comprados na internet.

Além disso, a falta de reembolso do montante pago em caso de desistência e “a recusa de cancelamento da compra no prazo de reflexão” estão também entre as queixas mais frequentemente avançadas pelos consumidores.

Os setores energético e da água foram outros dos serviços sobre os quais foram feitas mais queixas (perto de 28.000), principalmente por causa das dificuldades apontadas no que toca à mudança de fornecedor e à faturação.

Antecipando futuros problemas, a DECO sublinha a importância da proteção dos dados digitais dos consumidores e os perigos de realizar transações através das redes sociais.

Source: Sapo TeK